Do you prefer the english version? Click here! X

Clube Atlético Mineiro

- Futebol -

Você está aqui:

04.01.19 Futebol

Levir Culpi comenta montagem do elenco

“Um time que vai brigar por títulos” é o que o torcedor pode esperar do Atlético em 2019, afirmou o técnico Levir Culpi em sua primeira entrevista coletiva da temporada.

“Ainda estamos ajeitando o elenco, vai demorar um pouco, nunca acontece como a gente quer. As negociações são muito difíceis. É sempre um mercado espetacular, da maneira como funciona. Só quem está no meio sabe como é, então, as coisas não são muito fáceis. Mas o Atlético terá um time competitivo e em condições de ser campeão. O que a gente espera do Atlético é isso”, comentou o treinador.

ENTREVISTA COMPLETA DE LEVIR CULPI NA TV GALO

De acordo com o comandante atleticano, a efetivação de reforços para o setor defensivo foi apenas uma coincidência e uma circunstância de mercado.

“Não priorizamos a defesa. Tínhamos vários nomes e, coincidentemente, a negociação funcionou mais com os jogadores de trás. Mas o time tem que ter um equilíbrio, de meio-campo, atacantes. O elenco do Atlético é grande, passa de 35 jogadores e, se contar todos que estão emprestados, é o dobro, 70 jogadores aproximadamente. Então, quem vai, quem volta, é muito difícil acertar todos no final do ano. E existem as negociações, alguns têm contrato, outros não, enfim, é, realmente, uma coisa complicada. Então, estamos praticamente fechando a defesa, temos bons jogadores no meio-campo e até na frente, mas ainda precisamos de algum reforço, principalmente na peça ofensiva”, destacou.

Levir Culpi ressaltou que a prioridade do Galo é a Libertadores e que será preciso fazer uma boa gestão do elenco em razão do número de atletas.

“Queremos a Libertadores, é o primeiro passo. Mas vai haver uma ligeira divisão de grupo, aí que está. Então, tem jogadores que não estão há muito tempo aqui e, de repente, o menino do júnior é que rende melhor. Essa parte que vai incomodar um pouco. O elenco vai ficar um pouco inchado, por necessidade. Esse que é o problema, esse inchaço. Há pouca margem de erro, se o atleta não for bem em dois, três jogos, já vou trocando, é assim que funciona. Você vai testando e ajustando para ver quem resolve a situação. O período de 20 dias é um espaço curto, com o elenco bastante modificado, mas a gente consegue identificar bem. Pelo menos, vou colocar quem eu achar interessante. Tomara que eles estejam bem e, no conjunto, a gente possa resolver a situação”, concluiu o técnico.

Publicado 04 de janeiro de 2019, às 17:34.